quarta-feira, 3 de novembro de 2010

This Brilliant White Happiness!!!

E aê pessoal!
Volto depois de um longo período afastado a pedido de um grande amigo.
Fiz este Post porque fiquei bem interessado nos últimos reviews postados no Blog de meu amigo Lula...
Sendo assim, pra quem, como ele, quer saber mais sobre o videogame da poderosa Microsoft, aqui vai.

O Início com o primeiro XBox

Confesso que pouco sabia na época sobre a primeira investida da Microsoft no mundo dos games, o primeiro XBox.

 O Primeiro Xbox.

Na época a também poderosa SONY dominava o mercado com a sua segunda versão de um dos videogames mais famosos de todos os tempos, o Playstation 2, com seus novíssimos DVDs de jogos, processador de 128 bits e 32 MB RDRAM de memória direta, além de poder executar toda a biblioteca de jogos de seu antecessor Playstation 1, ainda servia de DVD Player para seus filmes favoritos. E essa febre ainda não passou completamente. Pra você ter uma idéia, a maquininha da SONY é tão conhecida que já são 10 anos de vendas e produção de consoles e games. O outro único videogame que teve tanto sucesso assim foi o Nintendinho, ou simplesmente NES, que ficou no mercado, com suporte por 12 anos, de 1983 até 1995.

A própria NINTENDO possuía um ótimo videogame na época, meados de 2000, o excelente Nintendo Game Cube. Diferentemente dos consoles anteriores da NINTENDO o Game Cube possuía Mini DVDs e um poder de processamento fantástico para a época. Sendo assim, jogos como Resident Evil 4 receberam a sua edição absoluta neste videogame. Nem a versão do poderoso PC, conhecido pelo seu poder gráfico, foi melhor. Por falar nisso a série ainda teve um remake do primeiro Resident Evil e mais um capítulo o Resident Evil Zero, todos com o mesmo super poder do Game Cube. Infelizmente o "Cubo" da NINTENDO foi obscurecido pelo peso que o nome SONY exercia nos novos gamemaníacos do novo milênio.

Foi nesse cenário que Bill "Muito Doido" Gates anunciou o que todos pensaram ser um suicídio da já poderosa, e consolidada no mundo dos PCs, com games inclusive, MICROSOFT, o Videogame Xbox. Com seu processador baseado no Pentium III Copermine rodando a 733Mhz, e memória de 64 MB DDR rodando a 200 Mhz, o Xbox vinha ainda com Placa de Rede embutida, garantindo desde cedo o acesso de seus donos a recém inaugurada Xbox LIVE, um lugar de encontro para pessoas de todo o mundo jogarem seus jogos coperativamente. Artifício que já existia no mundo dos PCs, mas novidade no mundo dos Videogames.

Infelizmente a "Caixa X" da Microsoft não possuía suporte no Brasil e quem quisesse possuí-lo teria que importar o bichinho direto dos States. Mesmo assim, com toda dificuldade, jogos como Halo e Halo 2, foram sucesso absoluto e garantem o feijão com arroz de muita gente da Microsoft até hoje. A série, exclusiva do console da Microsoft, é tão famosa e lucrativa que o senhor Gates recusou muitas e muitas propostas de adaptação do game para o cinema , simplesmente por não achar uma obra a altura. Até Steven Spilberg está tentando recentemente obter os direitos. Os fãns agradecem o empenho da Microsoft e da Bungie, produtora do game.

Halo, sucesso absoluto de vendas.
Minha opinião pessoal, o jogo é fantástico! E mesmo hoje, não o sinto velho ou ultrapassado. Um shooter em primeira pessoa, como o bom e velho Doom, que também teve seu terceiro ótimo título e continuações lançados no Xbox, se passa no futuro, em planetas habitados pelos humanos e outras raças alienígenas, como o planeta Reach, e os próprios Halos, que são aneis orbitais gigantescos construídos e deixados por uma raça ancestral dos humanos os Forerunners, que depois descobrimos se tratar de armas de destruição em massa. Enfim, a história é fantástica e rendeu desenhos, produtos, histórias em quadrinho... tudo. E claro, ajudou a consolidar a Microsoft no mundo dos Videogames Caseiros.

Um dos Halos, Anéis Orbitais do Jogo.

Uma Screenshot da ação do Primeiro Halo.

Mesmo com poder superior e enorme biblioteca de games, a exemplo do que aconteceu com o Game Cube, o Xbox não foi sucesso absoluto no Brasil, o nome SONY, por si só, ainda atrai muita gente. Ainda assim a "Caixa X" foi sucesso suficiente para render seu sucessor, Esta Brilhante Felicidade Branca.


O Xbox 360

O senhor Gates, muito provavelmente encorajado pelas vendas do seu último sucesso, o Xbox, resolveu fabricar um videogame de ponta, a frente de tudo que existia, para competir de igual com a nova promessa da SONY o Playstation 3, ou melhor, se fosse o caso superá-la, na minha opinião, nem um pouco "fã boy" diga-se de passagem, conseguiu.

 Esta é a Brilhante Felicidade Branca!

A Nova "Caixa X" da Microsoft, lançada em 2005, possuia CPU baseada no IBM Power PC com três núcleos simétricos em execução com 3,2 GHz cada, Cache L2 de 1MB, memória de 512 MB de 700 MHz GDDR3 RAM, Audio de 320 canais de descompressão independestes com saída Digital Surround 5.1, DVD-Rom dupla camada de 12x e resolução Widescreen Full HD de 1920x1080p, mais do que a TV Digital HD que é de 720p.


Com o lançamento do Xbox 360 uma edição especial do Jogo Halo 3 acompanhado de um capacete do protagonista "Master Chief" alavancou as vendas do videogame e o consolidaram de cara como o melhor da nova geração. Melhor ainda que o seu concorrente com tocador Blu-Ray, o PS3. A preocupação da SONY em criar um videogame A Prova de pirataria fez com que a arquitetura e o processamento do PS3, embora superiores a do Xbox 360, fossem difíceis de serem programados, o que resulta, na maioria dos casos, em gráficos superiores e loadings muito mais rápidos no console da Microsoft, nos restante dos casos os gráficos são idênticos.

A Edição Especial de Halo 3 para o Xbox 360.

Um Maluco sortudo usando o capacete de Master Chief.

As famigeradas 3 Luzes Vermelhas

Embora trágico é verdade que os primeiros consoles Xbox 360 apresentaram um problema de superaquecimento, devido a uma arquitetura falha da placa mãe do videogame, que resultava em três luzes vermelhas que piscavam na frente do console avisando seu dono da morte do hardware a sua frente. Esse problema, carinhosamente apelidade de "3 Red Lights of Death" fez a alegria da oposição e da concorrência e manchou a imagem do Xbox 360 por muito tempo. Quem iria querer um videogame com os dias contados. É verdade que os malucos que tinham o problema ficavam colados no console por 12h seguidas de jogatina, mas mesmo assim, era ruim.

 O Pesadelo dos possuidores dos primeiros Xbox 360.
Atualmente, problema superado!

A Microsoft logo correu atrás do prejuízo e lançou sempre consoles com placas melhores, além de oferecer garantia total sobre o produto. O resultado? Processadores melhores e menores e placas cada vez mais bem projetadas acabaram com o problema de superaquecimento. Mesmo assim essa mancha ainda assombra quem está em dúvida na hora de escolher. Mas desde a placa Falcon de 2007, passando pela excelente Jasper de 2008 até a novíssima Valhalla 2010, do Xbox 360 Slim, estão livres do problema.

O Videogame

A Microsoft realmente caprichou no Xbox 360
Seu visual moderno e clean ajudam a deixar o Xbox lindo na estante de casa. Nada de Logos Coloridos e berrantes, a Caixa X é tão discreta que chama atenção.... ???????

Painel Frontal do Xbox 360.

Seu painel frontal é branco com somente a bandeja e o botão de eject cromados nas versões de luxo. Conta ainda com 2 entradas de memory card, 2 entradas USB, o botão liga e desliga, as luzes de indicação de joystick e o botãozinho de sincronização do joystick. Opa!! Cadê as entradas dos joysticks? Fio é coisa do passado amigo. O Joystick é sem fio e permite que você pule o quanto quiser, proporcionando liberdade total e resposta precisa aos comandos do jogador.

Parte traseira do videogame.


O Videogame conta ainda na parte lateral com a conexão para o HD e na parte traseira o conector da fonte de energia, mais uma entrada USB, uma saída analógica de video e digital de áudio, uma saída HDMI de alta resolução e uma conexão de rede, para conectar a internet ou a outros Xbox 360. Isso mesmo amigo. Quer fazer uma Lan House de Xbox 360, PODE FICAR A VONTADE!!!! Desfrutando assim de jogos multiplayer e cooperativos de até 16 jogadores em rede local. Se preferir conecte seu videogame na internet, entre na Xbox LIVE e dispute partidas com jogadores de todo o mundo.


O Controle


O Premiado Design dos joysticks apresentam visual igualmente moderno e clean, com 2 sticks diagonais multipressão analógicos, um direcional D-Pad Digital, botões back e start, botão de interatividade, quatro botões de pressão, mais dois botões superiores de pressão e ainda dois gatilhos analógicos de multipressão. Os gatilhos analógicos permitem que você controle, por exemplo, a pressão com que quer acelerar ou frear seu carro numa corrida, igualzinho a um acelerador de verdade, ou então com que pressão você que apertar o gatilho de sua arma, aumentando ou diminuindo a precisão dos tiros conforme a pressão aplicada. Sensacional.

O Joystick do Xbox 360. Detalhe para
os gatilhos analógicos. 

O primo da SONY tentou seguir o exemplo do gatilho analógico e colocou no seu novo joystick Dual Shock 3 gatilhos analógicos, que testei e constatei pessoalmente, não funcionam tão bem quanto os da Microsoft, dá pra sentir que foi uma adaptação do modelo antigo, não achei confortável.

O controle cai muito bem na minha mão enorme, mas se adapta também com perfeição na maozinha das mulheres e sua textura é confortável.

Como os joysticks são wireless é necessário duas pilhas recarregáveis normais (aconselho de 2500mAh ou mais) ou um kit Charge And Play da Microsoft que oferece uma bateria de 4000mAh para uma jogatina contínua. Quem preferir há também os joysticks tradicionais com fio, que podem ser ligados nas saídas usb do videogame.

Os Acessórios

Aqui tem muita coisa. A Microsoft não poucpou esforços e colocou bastante periféricos pra fazer a alegria da moçada, que comprar as versões mais luxuosas claro.

Originalmente o Xbox 360 vinha em três edições:
A Arcade - a mais básica traz memória interna de armazenamento de 512Mb e um joystick. Videogame e bandeja brancos.
A Go Pro - Vinha com HD de 60GB, um joystick, um fone de ouvido com microfone que encaixa no controle para bate-papo durante as partidas na LIVE ou em Rede, Cabo Analógico de Video Composto e Saída de Audio Digital. Videogame Branco e Bandeja Cromada.
A Elite - A Top de linha vinha com HD de 120GB, agora vem de 250GB, dois joysticks, Cabo de Video Composto e Saída de Audio Digital, Cabo HDMI, um fone de ouvido com microfone que encaixa no controle para bate-papo durante as partidas na LIVE ou em Rede, mais um jogo ou dois dependendo do Pack. Tudo na cor Preta. Matador.

A Edição Elite do Xbox 360. Tudo Preto!

 A Edição Especial do jogo Halo 3 para o Xbox 360 Elite.

Hoje a gente só encontra o Arcade e o Elite. O último vindo em edições especiais dependendo do jogo. O de Bundle de Resident Evil 5, por exemplo, é completo na cor vermelha, bem legal.

A Edição Especial do Resident Evil 5 para o Xbox 360.

E em sua última versão o Xbox 360 Slim - Esse é luxuoso. Na cor Black Piano ele é menor do que seu irmão, com placa e processadores mais modernos, não possui mais entradas de Memory Card, uma vez que um Pen Drive normal pode ser utilizado para salvar Jogos e Perfis. Possui saída de áudio digital direto no Videogame, HD embutido com acesso traseiro. Melhor processador e Placa Mãe. E o problema do aquecimento totalmente resolvido, tanto que tem até uma saída de energia auxiliar para o Kinect.

O Xbox 360 Slim. Menor, Melhor e ainda mais Brilhante.


Tem ainda o novo joystick prateado com um D-Pad (direcional Digital) melhorado com configurações mutáveis a qualquer instante com um giro do direcional no joystick.

O Joystick com Direcional Digital Regulável. 
Cruz ou Circulo, você decide!

Tem o mini teclado acoplável ao joystick para digitações em bate-papos, caso não queira falar...

Para quem não dispensa uma digitação.

Tem conjunto de Volantes, câmbios e aceleradores para jogos de corrida... e tudo o mais..

O Kinect

O Kinect. Projeto brasileiro fazendo sucesso no mundo. Criação de
Alex Kipman, Curitibano, 31 anos, há 14 nos EUA.

Bem... o kinect é um acessório no qual a Microsoft está investindo pesado. É simplesmente um dispositivo que possui duas câmeras que reconhecem pessoas e movimento na frente do videogame. Sabe o joystick do Nintendo Wii, que você como uma espada e os movimento são reproduzidos na tela, parecido.... só que sem joystick. Ele reconhece os seus movimentos. Você pula, o boneco pula. Você dá um soco no ar.. adivinha... o boneco dá um soco também... Você segura uma direção imaginária e passa marcha num câmbio imaginário... até acelera num acelerador imaginário... e o carro responde com perfeição na tela. Jogos de fitness então nem se fala.. Tem até o Michael Jackson Experience... adivinha pra quê???

Confesso que estou meio cético quanto a diversão deste equipamento, mas tem gente que tá pirando pra ver esse acessório no seu lançamento aqui no Brasil dia 10 de novembro de 2010.

Ah! Vale lembrar que o Kinect é projeto de um brasileiro de Natal - RN.

Os Jogos

O Xbos 360 possui a maior biblioteca de jogos dos videogames da atualidade. Inicialmente os shooters dominaram o Xbox e também o Xbox 360. Até parecia que o videogame iria se especializar nisso, mas logo as empresas e fabricantes viram todo o potencial da "Caixa X" e hoje tem jogos pra todos os gostos.

Screenshot do Gears of War 2. Muitos tiros e criaturas 
sanguinárias vivendo embaixo da nossa terra.

Os jogos exclusivos Xbox 360 chamam atenção pelo cuidado com que são feitos. Só pra citar, os mais famosos: os shooters Halo 3, Halo ODST e Halo Reach (que rendeu 200 milhões de dólares só no primeiro dia de lançamento, isso sem contar pré-vendas e as vendas depois desse dia. Já vi alguns sites dizendo que chegou a faturar 800 milhões para a MS), os Shooters de Shouder View Gears of War 1, 2 e 3, os premiados RPGs da série Fable, o recente Survival Horror Alan Wake, que contou até com uma série em Live Action para promover o jogo. 

Aliás, as séries e videos promocionais em Live Action (com atores de carne e osso de verdade) tornaram-se uma constante no mundo dos games da microsoft. O próprio Halo Reach teve diversos videos promocionais lançados.




Live Action de Halo Reach mostrando a criação 
de um Spartan, que é um dos personagens principais do game.




Mais um Live Action de Halo Reach. Desta vez uma das missões que
antecedem a trama do game. Universo além do videogame.

Não menos importantes os absurdamente realistas jogos de simulação de corrida Forza Motorsport também fazem parte da biblioteca exclusiva do Xbox.

Além dos jogos lançados em Mídias, o Xbox 360 foi agraciado com os jogos sob demanda disponibilizados no excelente site da Xbox Live, que podem ser adquiridos com a compra de Microsoft Points, que é a moeda do site. No acervo Live Arcade, além de diversos outros jogos produzidos exclusivamente para a plataforma, como é o caso do premiado pelo design todo em preto e branco e sombras LIMBO, como pelo excelente jogo de viagens no tempo BRAID, passando por diversos clássicos como CASTLEVANIA SYMPHONY OF THE NIGHT, a série WORMS e jogos de plataformas da SEGA como o MEGA DRIVE... todos remasterizados em alta definição.


Este é LIMBO. Mais que um jogo,
uma obra de arte.

 
Este é BRAID. Nunca vi jogo melhor em se tratando
de viagens no tempo. E o melhor, totalmente em português.
Não poderia deixar de falar ainda dos novíssimos Tomb Raider And The Guardian of Light, exclusivo para download, e dos diversos mapas adicionais, conteúdo para download, fases extras, novas missões e conquistas que fazem parte de praticamente todos os jogos lançados para o Xbox 360.

Enfim... de jogos ninguém pode reclamar.


A Interface de Navegação
 
Diferentemente do que acontecia com os videogames antigos, em que bastava colocar o cartucho ou CD e jogar, o Xbox 360, assim como seus concorrentes, possuem uma interface de acessibilidade para o usuário. No console da MS, no entantom, essa interface, chamada de DASHBOARD, proporciona muito mais do que seus concorrentes. Nele voce pode modificar seus temas, acessar o Marketplace para compra de jogos, visitar uma locadora de filmes e músicas online,frequentar uma sala de bate-papo com os amigos, ficar por dentro dos maiores lançamentos, ver videos e tv, além claro de configurar praticamente todos os aspectos do seu videogame, como indioma, país de origem, hora, saída de video, efeitos de audio, senha, controle de pais, etc.. ufa.. é coisa que não acaba mais..

 Olha só meu Avatar. Tentei deixá-lo o mais parecido possível comigo.


Um diferencial da "Caixa X" em relação ao concorrente SONY é a possibilidade de criar o seu AVATAR, que é o seu bonequinho virtual. Você pode criá-lo e deixá-lo parecendo você. Este avatar será usado na LIVE e em alguns jogos. Você pode personaliza-lo com roupas e acessórios a seu gosto. É bacana que você pode comprar mais acessórios ou ganhá-los gratuitamente vencendo alguns desafios nos próprios games.

O Meu Avatar, usando como brinde uma camisa do Game Guitar Hero
e olhando para o Kit de Primeiros Socorros que ganhei do Left 4 Dead 2.

Considerações Finais

A Microsoft realmente se superou. Com total suporte aos brasileiros, com fabricação de hardware inclusive, preços muito mais acessíveis que a concorrência (R$999,00 contra os 2.000,00 do PS3), em equipamentos ORIGINAIS nas lojas especializadas, a ausência de um Drive leitor do Blu-Ray da concorrente SONY, não faz falta. Quem quiser ver filmes em Full HD, aconselho que pague mais R$400,00 e compre um leitor de Blu-ray, pois com certeza obterá muito mais vantagens e recursos de interatividade, som e imagem.

Pacote completo Halo 3.

A própria Microsoft afirmou que no dia em que a midia de DVDs for uma limitação para jogos que possam requerer mais espaço fisico de armazenamento, o seu XBox já está preparado para suprir essa falta com a demanda (download) de jogos.
Claro que, no meu ponto de vista, acho verdadeiramente que a MS não quer depender do Blu-ray da concorrência para lanças jogos para sua plataforma.

Lado a lado o Xbox 360 Tradicional e o Slim.


Fico triste quando vejo amigos meus recusarem-se a comprar o Xbox 360 simplesmente dizendo "não quero trair a SONY". Por acaso a SONY está patrocinando a jogatina deles.
O Playtation 3, como qualquer outro equipamento eletrônico, não está menos sucetível a defeitos do que o Xbox 360. Sendo assim utilizar-se do passado negro do videogame da MS para negar-se a vivenciar tudo aquilo que a Caixa X tem para oferecer não é mais desculpa.

 
Minha estação de diversão. TV LCD, Xbox 360 Hd 60GB, Guitarra para 
o jogo Guitar Hero e minha Edição de Colecionador de Halo Reach.

Com certeza, e aqui cabe um enorme INFELIZMENTE, o fato de o XBox 360 possuir um destrave permitindo que jogos piratas sejam rodados pelo console, foi fundamental para o sucesso do console no Brasil. No entanto isso não impediu a MS de invertir em seus jogos para o mercado brasileiro, com suporte em legendas e até dublagens perfeitas dos seus principais títulos. Sem contar das vantagens de se possuir um Videogame Original com tudo o que há para ser oferecido na Xbox LIVE, que chega ao Brasil na semana que vem.

 Alguns jogos do Xbox 360. Detalhe para o Grand Theft Auto
Liberty City Stories, comprado pela estarland.

Finalmente o Xbox 360 é um videogame fantástico, merecedor do título de melhor da atualidade, mas este Post não deve decidir por você que busca um videogame para comprar. Observe o que deseja de um videogame com cuidado. Eu simplesmente observei e não me arrependi nem um pouco. Ainda mais porque pude estar com os dois videogames, lado a lado, testanto e observando cada detalhe.

Oi!

Minhas portas estão abertas a todos que desejam testar e se apaixonar por Esta Brilhante Felicidade Branca.

 Só uma foto de efeito!

Valeu Pessoal, Abraço a TODOS!
Não deixem de comentar!
Até a próxima!
http://www.xbox.com/pt-BR/live/

http://www.estarland.com

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Constragimentos na Farmácia

Olá Pessoal! 
Sejam bem vindos a mais um Post.

Imaginem a seguinte situação.

Acontece normalmente, e geralmente começa como uma atividades normal. Você está com uma coceirinha na virilha e decide se medicar por conta própria. Chega já meio desconfiado na calçada da farmácia, tentando parecer o mais normal possível. Você já nota de longe que o vendedor está com os olhos travados em você, parece até que ele está tentando ler o seu pensamento. Você chega para o tal vendedor e pergunta baixinho, quase sem emitir som e usando os termos mais técnicos que consegue lembrar na hora , "você possui algum creme dermatológico para irritação na região da virilha?". Você tem certeza que falou alto e claro o suficiente para o atendente ouvir, mas ele, claro, pergunta em voz alta, "POMADA PARA COCEIRA GENITAL?". Pronto... está feito o estrago.... sua moral fica mais baixa que o nível do mar... nessas ocasiões você só consegue balançar a cabeça, e o resto da transação é feita quase que somente por gestos. Para piorar, a assistente de caixa, que na maioria das vezes é uma mulher, confirma para você o medicamento que acabou de comprar, enquanto você aguarda numa fila com mais 5 pessoas, no mímimo, escutando todos os medicamentos que você acabou de escolher, "UMA CAIXA DE GENITOX, está correto senhor?"....

Esses pequenos episódios constrangedores acontecem quase que diariamente e nem nos damos conta. Quando somos mais jovens aí é que a coisa aperta mesmo. Lembro bem da voz rouca que fazia, aos meus 15 ou 16 anos, para comprar a coisa mais normal do mundo, camisinha.

"Moça, você possui preservativo de látex masculino?"

Preservativo de Látex Masculino??????????????

Meu amigo... dá mais vergonha falar isso do que de pedir a danada da camisinha, que muitas vezes iria só fazer volume na carteira e injeva aos amigos.

Pior é quando o atendente é um sacana... sim... atendente sacana... porque os donos de farmácia até parece que fazem concurso com esse pré-requisito. Dá até pra imaginar a chamada de emprego. Procura-se balconista, com experiência para envergonhar jovens clientes, para trabalhar na farmácia Medfarma... etc. Ou esses atendentes possuem os olhares que mais embaraçam no mundo ou a situação de expor sua intimidade realmente deixa qualquer um com a moral abalada.

Pois é gente boa... é triste, mas é verdade. E tem mais, se você possui namorada aí é que a coisa complica.
Se algum dia ela pedir para você trazer um absorvente da farmácia, está feito o desmantelo.

Algum dia você já foi nalguma farmácia olhar a parte de absorventes. Meu amigo! Eu calculo que existam mais de 50 tipos diferentes de absorventes, com aba, sem aba, ultrafino, ultra absorvente, fluxo contínuo, fluxo intermitente, pequeno fluxo, adapt, confort, noturno, diurno, para o trabalho, interno, externo, pequeno, médio, grande... e ainda some a isso as combinações... noturno adapt, interno de fluxo contínuo, com aba ultrafino e por aí vai... e deve existir pelo menos mais umas 50 marcas que levam a uma infinidade de modelos. Isso nos leva a uma questão filosófica: Será que existem tantos tipos diferentes de orgão genitais femininos???? Caramba.... sei lá...

O fato é: como você vai saber qual o tipo que sua namorada vai querer? Será que existe tanta diferença? E o sem graça do atendente ainda pergunta "é pra você?"... dá até vontade de mandar ele para aquele lugar...
Aqui vai uma dica minha, nessas ocasiões escolha pelo menos três tipos diferentes, só assim você tem mais chances de acertar! Se sua namorada perguntar, você responde na lata, "Meu amor, você é um ser especial que Deus criou com delicadeza e para passar por mementos diferentes, sendo assim precisa de cuidados adequados, por isso pensei que deveria trazer todos esses tipos, para as ocasiões que você, meu amor, tem que infrentar", garanto que ela não vai nem lembrar o que tinha perguntado em primeiro lugar.

Há quem diga que o melhor remédio para um atendente de farmácia sacana é um cliente sacana. As orientações são as seguintes. Você deve chegar não com vergonha, mas sim fazendo vergonha, mais ou menos assim.
Falando alto "AMIGO, ESTOU COM UMA COCEIRA NA CABEÇA DE MINHA P***, TEM UMA POMADA BACANA AÍ NÃO?". Se algum outro cliente olhar torto, você já emenda "É QUE EU PEGUEI UMA NEGA DA RUA ONTEM E TÔ SENTINDO A P*** ESTRANHA", pode até inserir uma piadinha no meio "HAHAHA CABEÇA DE P*** É ASSIM MESMO NÉ... CADA UM TEM A SUA HAHAHA". Depois desse comportamento, se você não for expulso ou preso, eu garanto que ninguém vai tentar envergonhar você.

Mas como eu não consigo me comportar dessa forma, vou tentando viver saudável. Evitando minhas idas à farmácia, comprando pelo telefone, sempre que posso.

Agora um conselho sério, vamos deixar de nos medicar por conta própria e procurar os médicos que passam muito tempo se dedicando e estudando para cuidar de nossas mazelas!

Pratique esportes e tenha uma alimentação saudável!
Viva saudável e seja feliz!

Então amigos, agora é a hora de compartilharmos.
Comentem suas experiências e ensinem suas táticas.

Atenção, não coloquei imagens por questões óbvias!

Grande Abraço a todos!
Fiquem ligados e até a próxima!

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Review - Silent Hill Homecoming - Xbox 360

Olá Pessoal!
Bem vindos ao 6º Post!

Começarei neste Post uma pequena tradição aqui no KalangoMaia. Farei um Mini-Review dos jogos de Xbox 360 que eu zerar, colocando assim minhas impressões pessoais acerca do jogo. Espero que isto sirva como referência para quem deseja jogar um título, mas não sabe se vale a pena.

Os reviews serão baseados em notas de 0 a 10 e serão avaliados critérios como, Primeira Impressão, Jogabilidade, Originalidade/Enredo, Som, Gráficos, Pontos Fortes e Fracos, Considerações Finais e Fator Replay.

Dito isto, vamos ao primeiro.

REVIEW - Silent Hill Homecoming - Xbox 360 - Zerado em 11/05/2010

A capa do jogo para o Xbox 360 já mostra o
visual sombrio de Silent Hill Homecoming.

Desde o primeiro Resident Evil, o gênero Survival Horror dos games me traz grande entusiasmo a cada novo título lançado. E a série da KONAMI, Silent Hill, conquistou um fã desde o primeiro título, lançado em 1999, para o Primeiro Playstation.

Silent Hill para o primeiro Plastation da Sony.

Primeira Impressão/Originalidade/Enredo - 7,0

O primeiro Silent Hill era inovador, pois ao contrário de Resident Evil, que contava com ambientes fechados e terror explícito, o título da Konami se passava em uma cidade cheia de ambientes abertos, mas que trazia a mesma sensação claustrofóbica do irmão da Capcom, fosse pela densa neblina ou pela escuridão assustadora, e seu terror era totalmente psicológico. Andando pela cidade de Silent Hill você quase não encontrava monstros, mas o medo de se deparar com um deles deixava sua espinha arrepiada durante toda a jogatina.

Nesse aspecto de tensão Silent Hill Homecoming resiste ao envelhecimento. Dá MEDO jogar Homecoming. A tensão aumentada pela trilha sinistra e pelos ruídos estranhíssimos, faz com que tenhamos sustos até com barulhos de sua prórpia casa. Mas o enredo no novo jogo, ao final de tudo, é um pouco fraco.

A aparição de Pyramid Head não tem nenhuma interação.
Bom para quem tem medo dele.

Aparições totalmente desconexas do Pyramid Head e a velha premissa do protagonista que desenvolve uma realidade paralela para esquecer seus erros do passado, deixam a desejar neste título da série, que não se passa em Silent Hill, mas eu uma cidade vizinha, Shepherd's Glen. Não estou dizendo que o enredo do jogo não cumpre seu papel, ele serve para te deixar curioso, com possibilidades de escolha de caminhos em alguns momentos do jogo, culminando em cinco finais diferentes. Mesmo assim a Konami tenta deixar seu título mais agradável e acaba criando, em determinados pontos do jogo, Puzzles complicadíssimos e mapas confusos, que poderão frustar os gamers mais impacientes.

Jogabilidade - 6,0

Mais uma tentativa de inovar da Konami. Quem jogou os títulos anteriores deverá lembrar-se que todos os protagonistas eram pessoas normais, sem habilidades de tática e guerrilha avançadas. Em Homecoming o protagonista, Alex Shepherd, é um soldado com experiência em armas brancas e de fogo, mas isso não deixa a jogabilidade muito mais agradável.

Os combates confusos podem prejudicar os gamers mais exigentes.
A movimentação do personagem é até boa, mas os combates são fracos e confusos. Os inimigos se movem de forma confusa e se você for derrubado, dificilmente conseguirá levantar-se antes de ser golpeado novamente. A precisão de seus golpes é inconstante e com armas brancas é difícil pegar o jeito para realizar combos eficientes. Com as armas de fogo, a coisa melhora um pouco, mas a munição é escassa e Alex não carrega mais do que duas recargas para cada arma, limitando e muito o uso deste arsenal. Uma coisa é certa, fugir dos inimigos é mais vantajoso do que enfrentá-los. Talvez seja esse o propósito do jogo, mas é frustante não poder combatê-los decentemente.

Gráficos - 6,0

Não há nada de inovador, nem tão pouco extraordinário. A névoa do primeiro Silent Hill, foi colocada para esconder o cenário em constante formação, devido a baixa capacidade de processamento do primeiro Playstation, e acabou virando tradição. Em Homecoming ela está presente, assim como o breu total em alguns momentos. Nesses casos a única salvação é a lanterna de bolso de Alex Shepperd.

 A névoa claustrofóbica continua presente, aumentando a 
tensão, em Homecoming.

As animações são fracas também, com pouca movimentação labial e quase nenhuma expressão facial. Alguns bugs de pixels flutuantes deixam as cenas estranhas com o efeito fantasma (mãos dos personagens atravessando portas, paredes e objetos sólidos) aparecendo em várias ocasiões. Esse jogo é facilmente confundível com um título de Playstation 2.

Som - 8,5

A Trilha Sonora e os Efeitos de Audio cumprem bem o seu papel. Talvez até sejam o ponto mais forte deste título, pois foram os responsáveis pela sensação desconfortável, cheia de suspense e terror que presenciei durante o jogo. Não há muito o que falar, presenciar todos esses sustos vale uma boa sessão de videogame , de noite, com as luzes apagadas e um fone de ouvido esperto.

Fator Replay - 8,0

Talvez minha maior surpresa no jogo. Quando terminei de jogar ainda não sabia que o jogo possuía cinco finais diferentes. Maior foi minha felicidade ao descobrir que o final, que havia feito naturalmente, desbloqueava uma moto-serra e uma pistola laser, além de um uniforme policial. Foi o final UFO. A pistola laser é muito poderosa e até dá vontade de jogar no modo Hard só pra estraçalhar todos os monstros dos quais tive medo e fugi. Ver outros finais também seria interessante, se o YouTube não existisse. No meu caso trapaceei e vi os outros na internet.
Considerações Finais - NOTA FINAL - 7,1

Ao final de algumas horas de jogatina o final curto decepciona. A animação curta e a revelação final me deixaram frustrado. No entanto as pequenas recompensas amenizaram a avaliação final do jogo que avalio como JOGÁVEL.

Para quem é fã da série vale a pena passar umas horinhas desvendando os mistérios de Silent Hill Homecoming. Para quem quer conhecer a série, aconselho cautela, ou então procure pelo Remake do primeiro título para o Nintendo Wii, o Silent Hill Shattered Memories, que agora possui gráficos melhores, mantém a misteriosa história original e está bem mais trabalhado que o primeiro título para PS One.


Silent Hill Shattered Memories para o Nintendo Wii.
Remake do clássico primeiro jogo, agora nos videogames de ultima geração.


sexta-feira, 30 de abril de 2010

Andar de Lotação

Olá Amigos(as)!
Bem vindos ao nosso Quinto Post!

Infeliz aquele que anda no seu carro sem nunca ter experimentado a aventura que é pegar um coletivo para chegar no seu destino.

Recém chegado na Cidade Grande, aos 18 anos, tendo saído do interior da Paraíba, onde os ônibus eram apenas duas empresas que faziam translado entre Areia e as cidades circuvizinhas(São José e Bela Vista) e mais duas que passavam pela cidade com destino a outros estados (Nordeste e Itapemirim), enfrentei durante um bom tempo o conforto e comodidade que é andar de lotação.

Viação Bela Vista, amplamente utilizada pelos moradores da cidade de
Areia para o deslocamento até João Pessoa.

Para quem é novo nessa modalidade aventureira, tudo começa com aprender qual linha passa em qual lugar. Nesses casos vale a máxima, quem tem boca vai a Roma. Mas... e quem tem vergonha. É amigo, nesses casos um bom ouvido é fundamental. A técnica é a seguinte: no ponto de ônibus, devagar como quem não quer nada, a pessoa vai chegando por trás da outra, olhando para o mundo como quem não quer nada, mas com o ouvido sintonizado na conversa alheia na tentativa de identificar qual o destino delas e comparar com o seu. Entra aí então um pequena complicação. Se você for novo na cidade este plano estará invariavelmente fadado ao fracasso. Sim. Pois, se você não sabe de que lugares e pontos da cidade eles estão falando como vai se orientar? Ou você acha que na conversa alheia vai sair alguma coisa assim, "é mulher... estou indo agora para a rua em que esse menino que está aí atrás ouvindo nossa conversa vai também..." ...
E aqui ainda vale um alerta, esse método possui um grande percentual de chances de você ser encarado, ou mesmo confundido, com algum bandido, trombadinha ou tarado, já que está se aproximando dos outros, sorrateiramente, pelas costas.

Terminal Integração de João Pessoa, por aqui passam linhas de ônibus para
todos os bairros da Capital.

Sendo assim, para evitar o perigo, a melhor técnica mesmo, é o velho e bom método utilizado por cientistas desde a antiguidade, o empirismo, ou como pode ser chamado, o método da tentativa e do erro. O negócio é o seguinte, você vê um ônibus e mais ou menos imagina pra onde ele deve ir, arrisca e vai junto.
O ruim desse método é que você pode acabar gastando uns trocados a mais. Por outro lado você fica conhecendo a cidade. Ah! E não se preocupe, caso você tenha gostado desse método, ou não, você vai utilizá-lo mais de uma vez. Ou você, meu amigo ou amiga, acha que vai decorar todos os lugares por onde o ônibus passou? Da próxima vez que precisar ir para um lugar diferente lá estará ele, o empirismo.
Ah! e cuidado, muito cuidado com números de ônibus parecidos. Por exemplo o 512 é completamente diferente do 521. E isso vai te deixar mais perdido ainda, pois vai acabar te deixando num lugar totalmente estranho que você com certeza nunca viu antes. Pelo menos você sabe que se ficar dentro do ônicus, alguma hora vai acabar voltando pra o lugar de onde saiu, essa aliás é mais uma maneira bem econômica de fazer turismo.

Dentro do ônibus a coisa muda. Você estará sentado e protegido até o fim da viagem, certo? ...

... ERRADO.

É aqui que mora o perigo! Dentro do coletivo você enfrentará desafios como:

Bêbado chato. Esse é aquele cara que cisma que você é o ouvinte ideal para suas conversas sem nexo. Ele começa a falar, pela metade, de um assunto que não lhe diz respeito e que você não está nem um pouco interessado em escutar. Esse cara vai ficar a viagem toda tagarelando e se você pensar em mudar de lugar, se ele não for junto, poderá ficar altamente magoado porque você não quis lhe dar ouvidos. Ah! Não esqueçamos também dos ébrios que falam cuspindo e daqueles que sentados ao seu lado sonolentos, teimam em cair em cima de você. E a coisa só piora se você estiver indo encontrar alguém, que terá certeza que você já deu um gole no Todinho antes do encontro.

O companheiro que exagerou na dose de Todinho e que algumas vezes
fará do coletivo, sua casa.

Cara com Suvaqueira. Para aqueles que não estão familiarizados com o termo, suvaqueira é o odor característico dos gases resultantes do acúmulo de bactérias ou de substâncias não comuns a região das axilas. Esse camarada, que por sinal NÃO sente seu próprio perfume natural, vai andar sempre de pé com os braços levantados, distribuindo assim perfumes para todos, especialmente o passageiro que der a sorte de sentar ao lado do local que o cidadão escolher para ficar.

 É... nesses casos nem é bom comentar nada.

Trombadinha Arrependido de Discurso Decorado. É aquele que decorou um texto que usa em todos os ônibus que entra. Ele fala sem nem parar pra respirar, é mais ou menos assim. BoatardemeusamigosqueestãocomagraçadeDeusandandonesseônibus. Estouaquiparapediraajudadevocêsparaajudaressepobremeninoquenãopodetrabalharparaajudarafamília. Eupoderiaestarroubandomasestoupedindo. CARAMBA! Que raiva que dá. Como é que ele tem o atrevimento de dizer que poderia estar roubando? Dá vontade de bater em quem ainda se compadece com os trombadinhas. E olha que ainda tem umas senhoras que vendo o menino começam a chorar de pena. A globo devia era contratar esse moleques.

Vendedor de Drops. Esse usa a mesma técnica do Trombadinha Arrependido para decorar seus textos, a diferença é que ele fica insistindo pra que você compre um drops, muitas vezes já cheio de formigas e de data e procedência duvidosa. Alguns desses até distribuem papeizinhos contendo um texto, pra não precisarem falar oras..

Emboladores de Côcocaracterística sua. Mais ou menos assim:

Olha aí o meu amigo,
Com a camisa amarela,
Compre a pastilha a mim,
Para não ficar sem ela,
Chegue lá na namorada,
E dê um beijinho nela...

É pessoal. Tem de tudo nos coletivos. Agora triste daquele que tentar fazer feira e levar no coletivo. Nesses casos você dificilmente achará um ônibus vazio. Sabendo do perigo de esperar outro ônibus cheio de sacolas de compras você entra no primeiro coletivo que aparece. Lá vem você com sacolas penduradas até no pescoço, mal entra no ônibus e o cobrador já dá uma pancada com uma moeda na roleta que é o sinal para o motorista partir. Você tomba logo de lado com meio mundo de sacolas na tentatica de se segurar e procurar o dinheiro ao mesmo tempo. Você paga e na hora de passar pela roleta as sacolas ficam engalhando e o cobrador só te encarando. Tudo isso rezando para uma das sacolas não rasgar. Caso isso aconteça aí tá feito o estrago. Se você comprou um refrigerante de 2 litros, pode esperar que a sacola vai rasgar e seu refri vai sair rolando pelo chão do coletivo. Nãos e preocupe, quando você sair provavelmente vai encontrá-lo debaixo da cadeira de alguém lá do outro lado do ônibus.

 Uma situação comum, e por sinal tranquila, do interior
dos ônibus coletivos.

Não pense que o motorista ou alguém vai ajudar você não. Até parece que esses ônibus são feitos para atrapalhar.

Você com certeza já deve ter visto o lugar que eles reservaram para as mulheres gestantes e os velhinhos colocarem suas moedas. Um cofrinho com uma entrada minúscula que no balanço do ônibus ninguém nunca vai acertar.

Ah! E com certeza você já via a cadeira reservada pra que necessita de cuidados especiais. Também chamada de Cadeira da Morte 1 ela está localizada bem na frente do õnibus, sozinha, até parece que numa situação de emergência como uma batida, por exemplo, o aleijadinho, coitado, vai levantar de repente e sair correndo pra se salvar.

Sem falar da Cadeira da Morte 2, também conhecida como Jesus tá Chamando, que está localizada atrás da Cadeira da Morte 1 e que é mais alta que as demais e não possui nenhum anteparo na frente. Ela é reservada para gestantes e mulheres com crianças de braço. Eu aqui faço um apelo, não sentem nessas cadeiras. Corre-se o risco de numa batida o princípio da inércia agir e o bebê sair voando em direção ao pára-brisas igual a um projétil de revolver.

Outra vantagem de se pegar coletivo ao invés de dirigir seu carro. Se você, por acaso, esquecer sua carteira no carro, vai ficar preocupado o dia inteiro tentando lembrar onde deixou a carteira, com todos os seus documentos e dinheirinho sofrido, e vai ter que voltar ao carro para procurar. Se você perder no ônibus, pronto! Nunca mais vai ter que se preocupar com ela, porque, meu amigo, nunca mais você vai ver nem a cor da sua carteira.
O mesmo acontece com todos os outros pertences de pequeno porte, sejam eles, celular, guarda-chuva, bolsa, mochila e outros mais.

Ser assaltado em ônibus também é uma vantagem. Na rua você pode tentar reagir e fugir correndo o que colocará a sua vida em perigo. No coletivo, os sentimentos de reação são reprimidos, porque não vai ter pra onde correr, e sua vida vai estar segura. Ah! E não se preocupe, mesmo que o ônibus esteja lotado, nenhum dos outros passageiros vai reagir também, na verdade eles até vão sair de perto, deixando a certeza de que sua vida estará garantida.

Pois bem caríssimos amigos. São essas experiências que enriquecem nossas vidas e nos propiorcionam lembranças deliciosas. Digo deliciosas porque hoje podemos enxergar ao avanços que fizemos. Podemos sentir todo nosso trabalho dando frutos e nos recompensando pelas boas pessoas que nos esforçamos para ser.

Sendo assim, fica aqui meu grande abraço a todos que compartilham do mesmo passado e mais um alerta final. Caso precisem utilizar o transporte público, não se deixem levar por este Post bem humorado. O coletivo existe e beneficia muita gente, inclusive nós mesmos, ligando grandes distâncias e fazendo história em nossas vidas.

Afinal de contas, nada é tão ruim que não possa ser piorado.

Não deixem de comentar e citar suas experiências.

Grande Abraço a Todos!
Até o nosso próximo Post!
Fiquem ligados!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Compra Lá Pra Mim.

Olá Pessoal.
Sejam bem vindos ao meu Quarto Post.

Esse é dedicado a geração pré-internet, aqueles garotos que conseguiram umas espinhas a mais do que deveriam nos primeiros anos de sua adolescência.

Sem sombra de dúvida a geração YouTube perdeu o que eu entendo como uma das melhores fases da infância e da juventude. Os perigos e as aventuras passadas pelos "experientes" Marceneiros de Quintal, não metiam o medo que era, para qualquer pré-adolescente, conseguir uma revista de Mulher Pelada.

O Cenário

Nós estamos em Areia, uma cidadezinha pacata do brejo paraibano, em meados de 1992. Os valores e a tradição familiar ainda imperam, e a principal fonte educadora é o Colégio Santa Rita, uma escola de tradição e sob regime de Freiras Franciscanas vindas da Alemanha.
Nem se pensava em internet caseira. Na verdade quase não existiam computadores nas casas de muita gente. Kit Multimídia então? Banda Larga e Monitor Colorido eram coisa de filme Sci-Fi. (e lembre que não faz muito tempo os supercomputadores dos filmes eram máquinas enormes cheias de botões e luzinhas coloridas piscando que nem eram computadores de verdade, muitos deles não tinham nem monitor...)
A cidade possuia UMA (01 unidade) Banca de Revistas, que mais parecia um beco sem saída, e a principal atendente era uma senhora no auge de seus 60 anos de idade.

O Dilema, os Problemas e a Missão

No auge dos hormônios, conseguir qualquer tipo de material pornográfico era quase uma tarefa do Seriado Missão Impossível. Quando se tinha notícia de alguém que possuia um material desse tipo todos encaravam a pessoa como a frente de seu tempo, revolucionário ou mesmo rebelde.


Típico exemplo de Revista Antiga. Anúncios provocantes
levavam os garotos a cobiçarem a revista.

Veja que estamos falando aqui de uma simples revista, nada de filme, uma pobre revistinha, a maioria das vezes com fotografia em preto e branco e algumas, não raras vezes, com desenhos, manuais mesmo, de pornografia.
Essas revistas eram tratadas como se fossem as últimas existentes após uma guerra nuclear, material raríssimo e de valor inestimável, logo sendo protegidas como tal.

Em algumas revista as cenas eram desenhos feitos
a mão mesmo, nunca vi coloridos.

O medo de sermos dedurados aos nossos pais, e até mesmo a timidez de irmos até a Banca de Revistas pedir uma revistinha que vinha dentro de um plástico lacrado com letras garrafais pretas dizendo PROIBIDO PARA MENORES DE 18 e em alguns casos 21 ANOS, nos fazia recorrer aquele conhecido mais velho e experiente (geralmente com 14 ou 16 anos). Mesmo recorrendo a eles ainda  corríamos o risco de sermos ridicularizados pela nossa timidez excessiva. Vinha então a pergunta que dá nome ao Post, Compra lá pra mim?

Nesses casos, muitas vezes depois da aula, entravamos primeiro na Banca de Revista como se estivéssemos interessados naquela revistinha da Turma da Mônica ou outra revistinha de Atividades Infantis. A gente ficava olhando e depois de um tempo saíamos dirigindo o nosso olhar para a prateleira especial que ficava na parede,  não por acaso, acima da cabeça da dona da Banca de Revistas. Era quase impossível olhar a revista e não dar de cara com o olhar dela nos encarando. Quando isso acontecia era comum o menino tremer as pernas e gaguejar, na INÚTIL tentativa de dirfarçar seu interesse na pornografia, falando alguma coisa.

O fato era que a gente saía da Banca de Revistas e descrevíamos, para aquele conhecido, a revista que mais havia chamado nossa atenção. "... é uma revista amarela, que tem uma mulher ruiva na capa, com o cabelo em cachos encaracolados e está usando um vestido vermelho..."
O conhecido entrava lá e minutos depois voltava com uma revista que rapidamente colocavamos dentro da mochila onde levávamos nossos livros escolares.


Mais um exemplo da Tentação do Diabo.

Partíamos para casa e veja o que acontecia.
Normalmente quando se chega em casa depois da escola você entra vai para seu quarto joga a mochila na sua cama e sua mãe nunca, eu disse NUNCA, ia olhar nada na sua mochila.
Quando estávamos de posse da revista proibida, ao invés de seguirmos a mesma rotina e não despertar nenhuma suspeita, fazíamos o maior circo.

Você chegava em casa e já demorava o maior tempo para entrar, esperando todos entrarem na sua frente para não levantar suspeitas você ficava arrudiando a casa umas 10 vezes. Depois você entrava sem falar com ninguém e não desviava o olhar pra onde quer que fosse, para não levantar suspeitas. Colocava a mochila totalmente alinhada e justificada no meio da cama, completamente alinhada com os travesseiros, tudo para não levantar suspeitas. Ia para a cozinha almoçar e não dizia uma palavra, quando normalmente passaria o almoço falando, somente pensando na revista, para não levantar suspeitas. Quando sua mãe esboçava a menor reação de fazer uma pergunta, rapidamente você ficava com olhos e ouvidos bem abertos para responder de primeira e, sem sucesso, da forma mais natural possível com o intuito de não levantar suspeitas.
Terminava-se a refeição e corria-se para o quarto verificar a integridade do pacote secreto que ninguém havia sequer chegado perto, graças, claro, a todas as medidas de segurança que havia tomado. Tirava a revista da mochila e rapidamente escondia no lugar mais secreto possível. Embaixo da cama, dentro daquela pilha de brinquedos que sua mãe nunca mexia, dentro do armário, dentro daquele boneco oco, etc.. cada um usava a imaginação que tinha. Só depois você ficava mais tranquilo, mas sempre atento para uma mudança no comportamento de sua mãe.

Quando seus pais anunciavam uma viagem que você normalmente daria tudo pra ir, vinha a resposta: "num vou não... tô sem vontade...". Essa era a oportunidade perfeita para olhar aquela revista especial. Você esperava ansioso seus pais e irmã(ãs) saírem de casa para ir depressa até o enconderijo pegar a revista, abrir o saco com cuidado e descobrir que se tratava não de uma revista com fotos coloridas como mostrava a capa, mas sim de um livro de contos. Agora me diga, quem é que quer um maldito livro de contos sem uma foto sequer?
É amigos é o risco que se corre ao pedir para alguém fazer o que deveria ser feito por você mesmo.

Sendo assim, o melhor mesmo era conseguir esse tipo de material no mercado negro, ou seja, com o conhecido do amigo de um amigo seu. Geralmente ele cobrava de você um precinho "camarada" pelo material de primeira, mas algumas vezes, você conseguia de graça, eram os casos em que os caras mais velhos, com "outras coisas mais reais" em mente e em prática, deixavam o legado para os mais jovens.
Com o material em mãos era hora de juntar a galera e apreciar a natureza em sua forma mais primitiva. Aqueles desenhos em preto e branco despertavam os jovens homens presos em nosso corpos de meninos. A satisfação era garantida.

Depois de algum tempo estudando a arte era hora de guardar o material para consultas futuras. Aí cada um dava seu jeito. Alguns escondiam, deixavam com os amigos, camuflavam no meio de outras revistas, deixavam embaixo do colchão, no forro do teto, etc.
Eu particularmente bolei uma técnica, digamos, pirata. Construí uma caixa de madeira com sobras de caixas de uva, coloquei as revistas dentro de um saco plástico, coloquei dentro da caixa, cavei um buraco atrás do muro de casa, enterrei as revistas e marquei o local num tijolo do muro...
Lembro que foi tão cansativo que eu só tive coragem de desenterrar o material uma vez. Depois nunca mais enterrei denovo.


Outra forma que eu tinha de arrumar pornografia era na Festa da Padroeira da Paróquia de Areia, no mês de dezembro. Nessa época varias barracas de jogos e diversões iam para a cidade, dentre elas algumas vendiam uns artigos ilícitos para o garoto que pudesse pagar. Dentre os artigos estavam alguns baralhos eróticos (relativamente caros para se comprar com a mesada) e calendários de mulheres peladas (bem mais acessíveis). Eu comprava uns dois desses calendários, que geralmente mostravam belas moças montadas ou ao lado de cavalos, comprava o ingresso da Roda Gigante e esperava ficar lá em cima para sacar o calendário do ano passado do bolso e admirar a arte.

Lembro também que passar em frente das oficinas mecânicas sempre rendia um olhadinha nos pôsters das belas mulheres com roupas rasgadas... coitadinhas.

Mas aí meu bigodinho de 14 anos já estava nascendo e eu tinha certeza absoluta de que com ele poderia muito facilmente enganar a dona da Banca de Revistas.
Mas ela sabia, e eu sabia que ela sabia, que no fundo eu sabia que ela sabia que eu não tinha a idade do aviso na capa da revista. Mas mesmo assim ela vendia, sabendo que bons garotos não são moldados por uma simples revista.
Afinal, de que vale a vida sem um pouquinho de pimenta.

Grande Abraço a Todos!


Comentem suas aventuras!!


Até o próximo Post!


quinta-feira, 8 de abril de 2010

Teoria do Azar Cinematográfico Menino-Mulher-Protagonista

Olá Pessoal!
Sejam Bem Vindos ao meu Terceiro Post.

Atenção esse Post contém Spoilers de filmes.

Sabe aquele filme que você espera o ano todo pra ver? Aquele no qual você deposita toda a sua confiaça pensando, "esse vai ser um filme incrível", e de fato o filme se mostra assim.
Você vê a origem de um personagem enigmático, porém cativante, que te faz sentir simpatia extrema por sua causa e até reflete alguns traços de sua própria personalidade na tela do cinema.
Ele se envolve, por acaso ou por destino mesmo, numa trama intrincada, que você tem certeza, com suas habilidades, já demonstradas ao telespectador previamente, ele vai sair dessa fácil. E isso vai acontecendo.
O Herói está lá forte, em sua missão, sem dó nem piedade dos inimigos e de si mesmo, sacrifica sua integridade física pela causa na qual nós acreditamos. O filme está perfeito.

Até que entra em cena aquele menino, muitas vezes órfão, sofrido, absurda e completamente vulnerável a qualquer proposta, por mais absurda que seja, do vilão ou do seu capanga. Um menino muitas vezes atrevido, que também vê no herói simpatia, a salvação de sua vida patética. Esse menino é... simplesmente... um merda.

Você sabe. No momento em que o menino aparece, que, se o filme não estiver, com certeza o protagonista estará, pura e simplesmente, condenado.

Todas as habilidades, poderes, técnicas, sacadas, artimanhas, espertezas, força, rapidez, fluidez, sorte... tudo... simplesmente não será páreo para o desgraçado do menino que, no mínimo, se não matar ou aleijar, vai deixar a vida do herói, muito, mas MUITO MESMO, mais complicada.

Um exemplo clássico, e conhecidíssimo, deste caso é o filme Rambo 3, lembra desse? Meus amigos, quaaaase que, ninguém menos que John Rambo, morre por conta de um miserável de um menino que ainda por cima queria "A" faca de Rambo. Não contente, o pidão do menino ainda pede o "colar da sorte" de John, presente de sua "única" amada, morta, que ainda será citada no post. Dá pra acreditar na mala que o menino é? E lembrem-se, o pirralho logo que aparece já faz milhares de perguntas totalmente desnecessárias ao andamento do filme. "O que é isso? De que é feito aquilo? Pra que serve isso? Como se usa aquilo?" Dá um tempo. Por que vocês acham que o Rambo 1 é tão bom e fez tanto sucesso? Não existe nenhum menino.


Cena do filme Rambo 3: reparem no detalhe que
o garoto já está usando o colar da sorte de John Rambo.

Vocês podem estar pensando que foi um mero capricho do acaso. ENGANO! Aqui vão mais alguns exemplos.

A Procura da Felicidade.
Não seria muito mais fácil para o protagonista passar por todos os apertos que passou sem ter que carregar a mala que é aquele menino?

Cena do filme A Procura da Felicidade. O filho de Will Smith,
que a propósito eu odeio, dificultando a vida do pai.

Quer mais um? Ok! A Luta pela Esperança, além de Russell Crowe ter que lutar pra sustentar sua família, ainda entra em cena um menino, com fome, que vai fazer nosso herói deixar de comer para alimentar o menino, lutando assim com fome. Quer dizer que já não basta ser esbofeteado, ele tem que fazê-lo... com fome? Não seria mais fácil o menino esperar o pai, alimentado, lutar com forças e trazer dinheiro para casa? E detalhe, não é porque não tem comida para o menino, é que ele come o dele e depois quer o do pai.

Não se enganem pelo sorriso de Russel Crowe no filme
A Luta Pela Esperança, ele sorri para não chorar. Além de
tudo ainda tem que carregar nos braços três malinhas.


Pois bem, não pensem que acabou, pois outra pessoa que consegue disvirtuar o filme completamente é a mulher.
Sensual, linda, perfumada, delicada, apaixonante. Uma obra de arte de Deus... em casa. Longe da ação e da aventura dos filmes. Mulher tem muito azar em filmes, e seu charme invariávelmente levará a perdição do protagonista.
Quando ela é uma guerreira, como em Conan - O Bárbaro, ela até vai salvar o herói e dar a vida por ele, nesse caso o filme é Excelente, mas é minoria. Mesmo assim lembrem-se que mesmo nesse filme, com uma mulher guerreira, Conan quaaase se acaba no álcool.

Até o Cimério Conan quase sucumbiu a maldição cinematográfica
das mulheres, no seu caso a Guerreira Valéria, no filme Conan o Bárbaro.

Exemplo clássico Rambo 2. Aparece uma mulher que quaaase tira John Rambo do que ele faz de melhor, guerra. Tem condição? O cara já tinha até desistido de matar gente e já ia embora, não iria ter nem Rambo 3 nem muito menos o Rambo 4, somente o Rambo 1,5.

A agente indígena Co Bao. Se não tivesse morrido no filme
John Rambo teria desistido de salvar os P.O.W.s, desistido de
lutar e ido para casa. Rambo 2 iria ser um filme do gênero Drama.

Outro sensacional é o filme 007 - Cassino Royale. Lembrem que esta, na cronologia do Agente Secreto Britânico, é a segunda ou terceira missão de James Bond. Quem entra em cena? Vesper, uma mulher que parece aliada, mas na verdade é usada contra nosso protagonista e até está contra ele. Recordem que até fazer com que Bond assine sua demissão ela faz. Nada menos do que 20 filmes não existiriam se dependesse dela. E lembrem que as mulheres atormentam a vida de 007 faz tempo. Talvez seja por isso que ele troca de mulheres como troca de roupa.
Mas tudo se resolve com um artifício mágico usado pelos cineastas. Logo mais voltarei a 007.

A sedutora Vesper, conquista o coração de James Bond,
trai o agente secreto, que já havia assinado sua demissão,
depois se arrepende e comete suicidio, salvando assim toda
a série 007.

Nem De Volta Para O Futuro - Parte 3 escapa. O Doutor Emmet Brown, após acertar todos os detalhes de um plano que transforma uma locomotiva em força motriz para enviar o DeLorean a 55 milhas por hora para o futuro, tem que abrir mão de voltar para casa, pois aparece uma caríssima professora que faz nosso amigo Doc. ficar para trás e perder sua carona, tudo para salvá-la da morte certa ao tentar voltar para os braços do seu amado cientista depois de se arrepender de tê-lo abandonado.

A professora Clara Clayton atrapalha os planos de Marty McFly
e Dr. Emmet Brown, causando a maior confusão no final da terceira
parte da cinesérie De Volta Para O Futuro.


Sendo assim, caros amigos, não esqueçam dos filmes que não satisfeitos com o menino ou a mulher, combinam um menino e uma mulher para atormentar a vida do herói.

Caso clássico Eu Sou a Lenda. Simplesmente o nosso amigo Will Smith morre porque não tinha espaço na câmara do final do filme para salvar mais que duas pessoas. O que a índole de nosso herói o impõe a fazer? Salva o menino e a mulher e MOOOORRE. E lembrem-se de quanto tempo ele passa vivendo tranquilo em sua casa até que uma mulher aparece e leva a horda de monstros atrás deles.

No filme Eu Sou A Lenda, um menino e uma mulher,
dos quais nem lembro o nome, condenam a morte
"A Lenda" em pessoa.

Indiana Jones e o Templo da Perdição, esse é fantástico, pois nesse filme ele não tem somente um, mas DOIS piralhos e uma mulher para atrapalhar sua vida.

Em Indiana Jones e o Templo da Perdição, uma mulher
e dois meninos dificultam a vida de Indy. Fico devendo a
imagem do segundo garoto, que era um nativo prisioneiro.

Não esqueçam dos filmes em que o pirralho e a mulher se fundem numa única criatura, uma pirralha. Caso clássico Comando Para Matar. Nesse o nosso amigo Arnold, para salvar uma pirralha se mete numa guerra absurda e ainda por cima sozinho.

O Coronel John Matrix entra numa guerra, sozinho,
contra um exército para salvar sua filha Jenny, no filme
Comando Para Matar.

Mas quando tudo parece perdido para nossos heróis, entra em cena a ferramenta que tem o poder de salvar o filme da destruição total. A Morte dos coadjuvantes.
Essa sacada sensacional dos cineastas sela o destino dos meninos(as) e mulheres azaradas nos filmes. O único futuro pra eles, na visão dos cineastas, é a morte.
E dessa forma muitas são as mortes que devolvem aos protagonistas o ideal do princípio e sua causa, agora restaurada, retorna com força total. Aqui me arrisco a dizer que uma mortezinha até deixa nosso herói mais poderoso.

Vejam o caso do próprio Rambo 2. A morte da Agente Indigena Co Bao transforma o John em praticamente um demônio matador. Renovado após o enterro de sua amada ele se torna o que o espectador quer ver e sai detonando tudo. Pelo menos até Rambo 3...

O Agente Secreto Britânico 007, se torna quem é por conta da morte de Vesper, ele retorna para o MI6 e se transforma no James Bond que conhecemos hoje.

Dessas mortes nenhuma é mais significativa do que a que se segue. O que seria da Escócia se William Wallace tivesse vivido feliz para sempre com sua amada Murron MacClannough em Coração Valente? A morte dela simplesmente desencadeou a luta pela Liberdade da Escócia.

No filme Coração Valente a força motriz do revolucionário
William foi a morte de sua amada Murron.

Falando sério agora. Não sou machista de forma nenhuma, nem tão pouco odeio crianças. Na verdade esse Post é uma grande homenagem a filmes que marcaram minha vida. Fizeram parte de minha infância, adolescência e ainda são parte de mim. Nesses filmes acompanhei aventuras incríveis e senti emoções que milhares de outras pessoas também sentiram.

No entanto, pare um pouco pra refletir sobre como funciona essa coisa de cinema. Os cineastas, roteiristas, editores, produtores e diretores sabem que suas histórias precisam de reviravoltas para manter o interesse do telespectador pela película. Resumindo, quanto mais interesse, maior o envolvimento, e, quanto maior o envolvimento maior o lucro obtido com o filme.

Como não se mexe em time que está ganhando, a fórmula para se fazer filmes continua bem parecida ao longo dos anos e mesmo assim continuamos fissurados pelo cinema. É normal, pois cinema é a expressão de nossas vidas, sonhadas ou vividas, bem diante de nossos olhos para que todos vejam, e isso meus amigos, é delicioso.

Mas sei que a Teoria do Azar Cinematográfico existe, e sei que você, caro amigo, também pensou em vários filmes em que isso acontece, ou imaginou pensar em filmes em que isso não acontece. Eu duvido. Acontece em praticamente todos os grandes Blockbusters.

Compartilhe sua opinião, comente.

Grande Abraço a Todos. Até o próximo Post.


Atualização - 14/04/2010 - 22:35h

Acabei de assistir O Livro de Eli. Muito bom, por sinal.


Atenção Spoiler Forte! Só leia se já tiver visto o filme!



Se não viu o filme volte depois. Se já viu continue lendo!



No entanto ele só vem fortalecer ainda mais minha teoria. No filme, Eli, personagem de Denzel, é o cara. Ele é agil, forte, praticamente inatingível, tudo aquilo que falei de nossos heróis Eli é... ou pelo menos é até que conhece a jovem Solana, interpretada pela atriz Mila Kunis. Pois é amigos, observem que a missão de Eli é passar em segurança com a última Bíblia do mundo, sem chamar atenção até os confins do Oeste.

O Livro de Eli. Taí, mais uma que condena o herói. Solana
cumpre bem seu papel de mulher azarada. E tem mais,
ela termina o filme achando que é a própria "Elia".

E tudo seria cumprido não fosse a sem noção Solana, que na primeira oportunidade que tem dá com língua nos dentes e denuncia o segredo de Eli. Ele até tenta deixá-la para trás, mas Solana é persistente. O fato é que no final das contas o pobre do Eli, que vagou tanto tempo com o livro é baleado a queima roupa e morre um tempinho depois. Culpa de quem??? SOLANA. Mais uma azarada do cinema.

Mesmo assim, excelente filme. RECOMENDO!

Grande Abraço a Todos.
Até o próximo Post.